Ganda Ordinarice

Desabafo bem intencionado e imagético sobre o Salão Erótico de Lisboa.

segunda-feira, julho 24, 2006

Língua viva







Se o latim é uma língua morta, bem se pode dizer que o jovem brasileiro que subiu ao palco tinha uma língua viva.
Depois da stripper se ter coberto de cera, deu o mesmo tratamento ao voluntário, que não se incomodou nada com a situação e estava preparado para tudo.
Por isso, quando apanhou a stripper toda nua em posição favorável, imediatamente lhe quis oferecer algumas noções de linguística.
A stripper foi obrigada a conter-lhe o entusiasmo de forma manual, enquanto a simpática "speaker" Cátia (colaboradora do "Fiel ou Infiel") lhe ia mostrando um "cartão amarelo" sonoro: "Ai, ai, ai, ai...".
Na impossibilidade de levar mais longe os esforços linguísticos, o jovem brasileiro ia lambendo a palma da mão à menina da cera.
O que posso dizer mais?
("Mais nada" dizem os meus amigos. "Sai daí, para eu pôr as fotos".)
Vou sair daqui. Depois dou-lhes a morada dos meus amigos...a região de Lisboa começa por...)



2 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial