Ganda Ordinarice

Desabafo bem intencionado e imagético sobre o Salão Erótico de Lisboa.

sexta-feira, setembro 01, 2006

Editorial III

Parece que é desta

Parece que é desta que encerro o ciclo e fecho para balanço.
Vou ao armário e saco Conrad Herwig + Trio de Bernardo Sassetti, ao vivo no Festival de Jazz de Guimarães.
Preciso de boa música antes de me abalançar ao trabalho.
E aqui está o busílis da questão. A noção de que escrever para um blog pode ser trabalho. O carácter de “auto-imposição”. Um amigo meu disse-me bem recentemente: “Então, quando é que actualizas o blog? Deixaste-nos com água na boca e agora nada!”.
Lá vêm os complexos de culpa de não actualizar. Mas o tempo (quente, inferninho caseiro, a ventoinha a rodar por cima da cabeça, como num filme americano de série B, com traições femininas, 38 Special a disparar maldades e etc e tal) não está para graças, quanto mais para este Graça.
Apetece ter o computador desligado. Apetece ler banda desenhada, mesmo que se chame “Helldorado”. Belíssima descoberta!
Não apetece chatear os amigos, que generosamente se prontificaram a fazer-me o blog. Resumindo: confirma-se que eu não tenho vida para blogs.
No entanto, apetece fechar o ciclo. Conta-se o número de fotos do blog em duas noites de postagens e chega-se ao 44. Mas ainda há material para sair. Concretamente, no que toca a folhetos de propaganda, um lado bastante interessante do Salão Erótico, pista para várias descolagens.
Sei que o mais difícil é começar a escrever. Por apetecer cinema. Por apetecer copos. Por apetecer noites. Por isso os jornais se vão acumulando. E as revistas. E os livros.
Forço-me a não deixar sair de cartaz “Cars”. Animação de luxo. Faço por esquecer que, na fila de trás do cinema, um casal de adolescentes se entretinha em manobras sexuais que me distraíam das manobras do Hudson Hornet de 1951 com voz de Paul Newman; forço-me a esquecer o snobismo das tias que foram para o concerto do Caetano Veloso dar à língua e tirar fotos com o telemóvel.
Chego a casa, vejo as mensagens do Hotmail e lanço-me ao trabalho.
E agora? Agora é mandar os textos para os amigos e esperar a convocatória de actualização.

E depois? Depois, o futuro a Deus pertence.
Não consigo interpretar as curvas e contracurvas da minha alma, da minha vida. Não sou blog-dependente. Mas dependo dos amigos para o blog.
O chato é que não consigo deixar de entrar no blog. Para ouvir “La banana”. Até ficar amarelo às pintas pretas e enjoar.

2 Comentários:

  • Às 11:41 da manhã , Anonymous candida disse...

    gostei deste post. o concerto do caetano foi bom?

     
  • Às 5:22 da manhã , Blogger Inês Ramos disse...

    Parabéns, Luís, pelo teu aniversário. Que vivas muito e bons, sempre escrevendo assim. Mesmo amarelo à pintas pretas, os teus leitores adoram-te!

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial