Ganda Ordinarice

Desabafo bem intencionado e imagético sobre o Salão Erótico de Lisboa.

sexta-feira, junho 22, 2007

“ESTOU A GOSTAR DO SALÃO, SÓ É PENA O RUÍDO”

Pierre Woodman até já tinha filmado em Portugal. Há um ror de anos. Uma cena com um pescador português na Nazaré. Deu até uma reportagem na televisão portuguesa. Entrevistavam a irmã do pescador (por acaso não ficou muito feliz com a ideia) e tudo.

A menina que entrava nas águas com o pescador (mas em cima de um barco) chamava-se Jade, era francesa e estava em início de carreira. Não sei mesmo se não era a estreia dela.

"XCalibur" em fundo, Pierre Woodman bem lá atrás, com as suas meninas à frente


Havia um pescador mais velho que remava e estava de costas para o truca-truca. Mas via-se que a situação lhe estava a custar. Também vi um filme com a americana Celeste e Steven St.Croix em que a Celeste ia em cima de uma carroça a sugar no vigoroso do Steven. No México. E o condutor da carroça, um habitante local, também estava a modos que perturbado.

E topava-se na cena que a Celeste estava perdida de riso com o sofrimento do homem.

Bem. Adiante. Que já nasceu o dia e ainda há muito post para escrever. (São 6 e 32 da madrugada).

Estava eu a começar a peça com o Pierre Woodman. Não me vou perder em grandes dados sobre ele. Vão ao Google que não faltam links.
















Mas posso dizer, porque ele resumiu a situação, que começou a trabalhar com 16 anos, foi barman, esteve quatro anos na Polícia (em Paris), depois foi militar (chegou a sargento), trabalhou em TV, como fotógrafo de plateau, ao que percebi, daí passou para fotógrafo de moda.

--- E depois passei ao porno, em 1989.

Entre 92 e 99 trabalhou em exclusivo para a Private. Depois tentou a aventura americana, com a Hustler de Larry Flynt.

--- Mas o Larry não promove ninguém. Só o Larry Flynt.

Voltou à Private para dirigir “Sex City”, em 2005. Em 2006 fundou a própria companhia, por isso agora está por conta própria.

--- A Private faz uma promoção muito boa e valoriza a imagem. Mas eu tive uma divergência pessoal com o patrão e foi por isso que deixei a Private.

E a nova experiência, por conta própria, que tal está a correr?

--- Para já, não me posso queixar.

(Faz figas)

--- As modelos com que trabalho são de trato fácil e muito simpáticas, por isso é bom ser manager delas.

Pierre referia-se a Nessa Devil, Divinity Love e Caylin Curtis. Caylin é a menina que abriu as hostilidades em termos de posts no dia de apresentação do Salão (ver 'UM SORRISO CELESTIAL').

Em cima do palco da companhia de Pierre Woodman também estiveram Black Angely e Kristina Hot.


Mas o trio de “Xcalibur” (uma versão X de “Excalibur”, de John Boorman, recentemente exibido na TV portuguesa) é realmente de uma sensualidade indiscutível. O cartaz grande à entrada do Salão é muito apelativo. Quem olhe para o lado direito depois de passar o torniquete não pode falhá-lo.

O pior é que não há ainda filme para comprar no stand da Hotgold. É só água na boca...

E no que toca ao Salão...

--- Estou a gostar. É um local limpo. Só é pena o nível de ruído, que é muito cansativo. De resto, estou a gostar de tudo. As pessoas são extremamente simpáticas e acolhedoras. Já não gostei foi da apresentação. Disseram-me que a primeira apresentação, no Hotel Altis Park, tinha corrido bem. Mas ontem, no Cinema Paraíso, já não gostei. Aquilo é muito decadente e dá má imagem ao evento. Depois, se existe a língua inglesa para que todos nos entendamos, porque é que só se falou espanhol, praticamente? Eu passei uma data de tempo a ouvir blá-blá-blá e passados uns 15 minutos lá percebi qualquer coisa: Pierre Woodman. Mas não sei o que estavam a dizer de mim.

Também não percebi porque é que fizemos as fotos de promoção no primeiro andar, com um calor infernal e num sítio exíguo, quando se estava melhor no piso de baixo. Eu perdi a paciência e quis foi sair da caloraça.

Depois a conversa desviou-se para as anteriores edições do Salão, das estrelas que vieram e eu disse que uma das minhas favoritas era a húngara Brigitte Bui. E o Pierre:

--- Oh! essa...bem, ela deu nas vistas porque provocou um escândalo ao invadir um campo de futebol sem roupa. Ela até é simpática, pode ser uma pessoa com muitas qualidades, não tenho nada contra ela, mas só é conhecida em Itália. Quem é que a conhece no resto do mundo? E depois, até andou a oferecer o corpo aos milionários árabes. É uma call-girl de luxo.

Parei de escrever. Atenção às palavras. Posso escrever isso mesmo assim?

--- Sim. Toda a gente sabe. Não é segredo nenhum.

No primeiro SIEL, a miúda “partiu-me a cabecinha toda” quando se despiu no Jardim do Tabaco, na festa de apresentação nocturna. Depois comprei os filmes “Life”, “Fashion” e “A solução”. Ainda não sei se há novidades dela este ano.


Estava quase a despedir-me de Pierre, que muito simpaticamente se prontificou para esclarecer qualquer coisa nos restantes dias de Salão. Trocámos de cartões e eu aconselhei o visionamento dos espectáculos de Sonia Baby. Expliquei como funcionava a vulva devoradora de Sonia e Pierre ficou muito curioso. Nunca tinha ouvido falar de Sonia Baby, mas prometeu seguir atentamente os espectáculos.

Pronto. Já entrevistei o Pierre Woodman. São 6 e 58 da madrugada e hoje vai estar mais calor. Estou nu da cintura para cima. Se a Romina entrar agora e me quiser fotografar, peço cinco euros (ver post 'POSSO TIRAR UMA FOTO?')
















































Auto-publicidade Poético-erótica

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial