Ganda Ordinarice

Desabafo bem intencionado e imagético sobre o Salão Erótico de Lisboa.

segunda-feira, junho 25, 2007

O DOMINIUM DOS DEUSES


Podem não gostar de pornografia e da revista “Dominium” (a revista dos estilos de vida alternativos, como diz no cabeçalho do número um, chegado ainda bem fresquinho ao SIEL), mas de Astérix percebem vocês, seus malandros...

Deixem-me explicitar o trocadilho do título do post: é uma mistura do título do álbum “O domínio dos deuses” com o título da revista. Já sei que muita gente percebeu logo, mas não custa nada dar uma ajudinha a quem não tem as mesmas referências de BD.



Isabel Freire (à esquerda), na sessão de autógrafos do seu livro. Lurdes, de pé, em grande actividade, em prol do stand e sempre com um sorriso de simpatia, apesar do stress inerente a estas coisas do Salão Erótico.




A Dominium tinha uma mesa bem recheada de livros, de todo o tipo de autores. Os visitantes interessavam-se. A caminho do Club Bizarre (ou à saída dele) foram muitas as pessoas que se detiveram a descobrir escritores ou a folhear os que já conheciam.


Eu tenho duas páginas na revista (32 e 33), preenchidas com um post do meu blogue www.sexonanoite.blogspot.com. O blogue é a reprodução integral, semanalmente, do livro “Diário Sexual de um escritor frustrado”. A minha vida, sem tirar nem pôr, entre 1 de Outubro de 2004 e 31 de Dezembro de 2004. E o que foi publicado na revista é um post com o título “A canzana de Amesterdão”.


Ainda não tive tempo de ler tudo, mas dá para perceber que a revista de Miguel Lima (director e editor) e Maria de Lurdes Correia (redactora) é um objecto perfeitamente estimável. Revela um design apurado, boa impressão, bom papel, bom gosto. Foca os estilos de vida alternativos das mais variadas áreas e está aberta ao sentido de humor de um deparvado como eu. Quando escrevi deparvado foi de propósito. Um deparvado é um depravado que além de ser depravado é também muito parvo.

A revista custa 7 euros e nos destaques de primeira página foca Joe Oliveira (pin ups with a twist), Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa (entrevista com João Ferreira, o director) e o III SIEL.


A capa é realmente muito boa.

Não escrevo sobre a revista por incluir um conto meu. Escrevo porque acho que devo apoiar uma publicação a que reconheço qualidade e por um dever de boa educação. A DOMINIUM tratou-me de forma fidalga no seu stand, por isso o mínimo que podia fazer era retribuir com a divulgação da revista e desejar-lhe as maiores venturas e aventuras.






Querem saber mais? Vão a www.dominiumonline.com. Os contactos com a Redacção podem ser feitos redaccao@dominiumonline.com e 351 914 912 529 e 351 239 992 646 (telefones e fax).

O editorial do número um revela algum desencanto e revolta com a falta de solidariedade de algumas pessoas que deviam ser as primeiras a apoiar uma revista deste estilo, mas também declara guerra à desistência e promete continuar.

Força nisso! Este projecto tem qualidade editorial ao nível dos conteúdos, como agora se diz. A “Periférica” (revista alternativa de cultura) começou com o mesmo estado de espírito e os mesmos problemas. E constituiu um marco. Já faleceu, mas enquanto existiu “deu água pela barba”. Citando João César Monteiro num dos seus filmes: “Vai e dá-lhes trabalho”!


Auto-publicidade Poético-erótica

7 Comentários:

  • Às 11:45 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

    O Projecto e Revista Dominium agradecem ao Luís esta divulgação e principalmente a honestidade em chamar os bois pelos nomes :)

    Mas a verdade é que ele só podia ser tratdo fidalgamente porque é um Cavalheiro e um Prevertido (sim, fiz de propósito - mistura de depravado com divertido ;)

    Obrigada Luís pela tua cabeça arejada e tres bons livros para quebrar a monotonia de uma vida sempre acinzentada!

    Conta connosco e "Bamos a eles, carago!" *********** ML

     
  • Às 12:26 da tarde , Anonymous Luís Graça disse...

    Como disse,eu é que agradeço.
    O meu maior esforço foi andar à procura da revista no meu quarto, que isto de duas "directas" em três dias já deixa marcas num quarentão como eu.

    Dei uma "Dominium",sobravam duas. E dois livros autografados da Isabel Freire.

    Tinham de estar em algum lado. Procurei tudo do lado direito, na zona do armário e do sofá. Nada! Já estava a bater mal.

    Era afinal muito simples. Estavam as duas pousadinhas e felizes do lado direito da cama, junto à parede, mesmo no topo de uma pilha de livros que inclui "Antologia" (Manuel Bandeira), "Champavért: contos imorais" (Pétrus Borel, da belíssima colecção Beltenebros da Assírio e Alvim), "Três irmãs" (Tchékvov), "O Tio Vânia" (Tchékov), "O amor natural" (Carlos Drummond de Andrade), "As coisas mais simples" (Nuno Júdice), "Bocage, a vida apaixonada de um genial libertino" (Luís Rosa) e "Pedro Barbosa, Jesus Correia, Vítor Damas e outros retratos" (José do Carmo Francisco).

    E também tenho de estar muito grato à equipa de amigos e amigas que tem postado os meus textos e fotos no blogue.

    Eu sei que lhes agradeço verbalmente com frequência, mas os complexos de culpa não me largam, porque são horas e horas de trabalho.

    Há sempre um desgraçado ou uma desgraçada de serviço.

     
  • Às 8:35 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

    Luís... um dos livros que tens da Isabel Freire, autografado, deve estar dedicado a uma Adelaide - se for o caso, pf dá-me um toque que o Dono ficou desolado de o perder ;)


    ********************
    ML

     
  • Às 12:19 da tarde , Anonymous Luís Graça disse...

    Presumo que não. Eu fui pedindo para deixar as minhas compras à parte. E os dois livros, mais as três "Dominium", ficaram todos juntinhos no escaparate.
    Acho até que tive o cuidado de confirmar que eram os autógrafos que estavam escritos para mim e para a Inês. E depois guardei tudo na minha pasta preta grande.

    Entretanto, cá em casa, separei as revistas dos livros. Como disse, dei uma Dominium no Galeto e vieram duas para minha casa.

    Pousei os livros em qualquer lado, sem lhes mexer.

    Mas vou já à procura. Se houve troca, quer dizer que essa pessoa ficou com um autografado para Luís Graça ou Inês. Mas acho que não.

    Vou encher-me de coragem e vou à procura dos livros, que isto está cheio de jornais, revistas e papelada. Já digo qualquer coisa.

     
  • Às 12:30 da tarde , Anonymous Luís Graça disse...

    Eu fico satisfeito por já ter encontrado os livros num saco com os jornais do dia, que ainda não li. E fico satisfeito por ter os livros correctos.

    Os autógrafos que tenho são para mim e para a Inês.

    Mas fico triste pela perda da outra pessoa.

    O que posso dizer é que o livro que estava dedicado à Inês tinha um bocadinho de papel a marcar. Dá para perceber que diz "2...qualquer coisa", talvez livros.
    Depois em baixo há mais uma palavra de quatro ou cinco letras, com um d e um l.
    E na última fila percebe-se que é o meu nome.

    Também sei que um dos meus colunistas comprou um livro no domingo, a partir do meio da tarde. Ele falou comigo à noite,no Galeto. Não me disse nada de autógrafos. Mas já tinha olhado para o livro com alguma atenção.
    Portanto, presumo que não seja ele a ter o autógrafo trocado. Até por uma questão cronológica.

    Dos meus amigos, acho que nenhum pediu autógrafo à Isabel, por uma questão de local e horas.

    Lastimo não poder ajudar mais.

     
  • Às 10:38 da tarde , Blogger Inês Ramos disse...

    Olá Luis,
    sou a BADKITTY, a mais jovem coloboradora da revista/projecto Dominium. Por isso mesmo podes tratar-me por Kitty como faz o resto do staff e os meus amigos. Obrigada pelo teu apoio a esta revista e a este projecto. Amei de paixão e Tsão o teu livro q folheei na casa da ML. Tb amei o teu blog q tá mesmo POWER ON. Adoro a forma como escreves. Também tenho um "blog" onde sublimo com humor, amor, algum terror e imagens, a minha vida (e as vidas de outrém) desde de 2004. Convido-te desde já a visitá-lo pois terei o máximo prazer em aceitar os teus comentários. Tive muita pena de n ter ido ao SIEL este ano (o ano passado fui, mas este ano n deu p ir - nem ao evento - por motivos académicos) mas o teu blog minimizou os danos causados por essa minha terrível falha. Prazer em conhecer-te. Força nos teus escritos geekliciosos e diabólicos!

     
  • Às 12:28 da manhã , Anonymous Luís Graça disse...

    Olá, Kitty.
    Já tinha entrado no teu blogue, mas foi mesmo muito à pressa, tipo três minutos, que já andava há horas na Net e isto tem sido duro.

    Foram duas directas em três dias, à conta do Salão Erótico e de ter de levantar cedo na terça-feira, o que acabou por redundar em directa involuntária.

    Por acaso já tinha visto o teu nome, mas no comentário das mulheres bilingues ainda não me tinha lembrado que eras a Kitty.

    Sabes porquê? Porque a Inês Ramos que eu conheço melhor é...a designer do "De boas erecções está o Inferno cheio" e do "15 desatinónimos para Fernando Pessoa".

    Por acaso achei estranho: "Olha, o que deu a esta agora para fazer três comentários de seguida?". Porque estava a ver na caixa do Hotmail. Se fosse para comentar os poemas que ela conhece bem à brava, já que paginou o livro, podia tê-lo feito há bué de tempo.

    Mas com a apresentação da Bad Kitty lá meti as ideias em ordem.
    Por acaso não recebeste nenhuma resposta no outro comentário como se fosses a minha designer. Aí, ela havia de rir-se à brava e tu havias de ficar super-baralhada. E lá estava eu depois a explicar nos comentários o que se tinha passado.

    Muito obrigado pelo teu apoio. Tudo de bom para ti.

    Olha, o meu próximo projecto é entrevistar o presidente da Câmara de Portimão. Vou para lá agora cobrir a final da Liga Europeia de Voleibol (para o blogue o Prazer da Mesa, um dos meus links) e em Agosto há lá a primeira edição de um Salão Erótico, com a mesma máquina de produção do SIEL.

    Quero saber o que pensa o presidente da Câmara.

    E vou, de certezinha, pôr os meus camaradas jornalistas a rir. O "capitão" da equipa portuguesa é o João José, que nasceu em Portimão.

    Na última conferência de Imprensa eu hei-de dizer: "Eu gostava de falar mais detalhadamente com o João José, mas já fora da Conferência de Imprensa. É uma entrevista de fundo sobre pornografia. Como ele é cá de Portimão e vai haver cá o Salão...".

    O assessor de Imprensa não me vai expulsar, até porque lhe vou oferecer umas "Erecções" e na última página de fotos até há duas credenciais minhas da Liga Mundial de Voleibol.

    Bem, está na hora de ir para a hidroginástica. Andam a brocar aqui qualquer coisa no prédio e lixaram-me.Acordei. Ontem estive até às cinco da manhã num avião, mas ele não descolou. Está parado na Portela. É um clube de strip. Nunca lá tinha ido.

    Beijinhos.

    PS --- Não perdeste nada da festa no Karnart. O pessoal estava todo de preto e aquilo era muito escuro. Nem sei bem o que se passou por lá. Praticamente só consegui ouvir a música, que era boa. Às vezes sentia a aproximação de um vulto e uma pessoa a falar comigo e respondia educadamente, mas era muito difícil saber quem era.

    Só consegui ver qualquer coisa quando saí para a rua, que o dia estava a nascer. Mas fiquei feliz. Ninguém me quis bater, o que quer dizer que simpatizaram com a minha voz.

    Ou é o contrário?

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial