Ganda Ordinarice

Desabafo bem intencionado e imagético sobre o Salão Erótico de Lisboa.

quinta-feira, julho 05, 2007

O COCAS CONVIDOU-ME PARA O FESTIVAL DO AMOR



















O Barriga mandou-me um mail a perguntar se podia pôr-me em contacto com o Cocas, que é o director do Festival do Amor, ou da Festa do Amor, ou do Bacanal do Amor, ou de uma coisa assim que decorre em Beja, de 28 a 30 de Setembro.

Depois, o Cocas telefonou-me e disse: "Olá, sou o Cocas. Sou amigo do Paulo Barriga".
E eu disse-lhe logo: "Então, como é que vai a Miss Piggy?".

Das duas uma: ou ele me mandava para o caralho ou ficávamos amigos instantâneos. Parece que foi a segunda opção. Mas um gajo que se chama Jorge Caetano e gosta de ser tratado por Cocas também não se pode chatear com coisas destas. Ainda por cima parece que já tem idade para votar e tudo.

Só falta dizer que o Paulo Barriga é um magnífico jornalista e escritor, que já viveu e trabalhou em Lisboa, regressou ao Alentejo e editou há cerca de um ano um magnífico livro (e é mesmo magnífico com M dos bem grandes) chamado "Os Sulitários". É mesmo assim.

É um livro de palavras e fotos que capta o Alentejo com uma aridez e uma filosofia dignas dos grandes autores. A sessão de apresentação de Lisboa foi na FNAC Chiado e foi uma coisa digna de ser vista. E foi lá que conheci o Barriga pessoalmente, depois de trocarmos uma série de mails, que começaram quando ele fez uma crítica ao meu "Neura 2004" (Oficina do Livro) e utilizou a expressão: "Este livro é um pau de rir".

Ora, depois disto um homem tem de ficar amigo de um gajo destes. Ainda para mais quando ele continua a insistir nos mails com frases como: "Que Deus te arrebente de saúde", "Um abraço azinho" e outras que tais. Azinho é azinheira. Estou à espera que ele me explique esta última.

E o Cocas ao telefone, para mim: "Pá, o ideal era tu declamares depois da meia-noite, depois das senhoras mais conservadoras irem para casa". É às horas que eles quiserem.
Mais Cocas: "E em que dias podes vir?". Fico lá os três dias, homem dum cabrão. "Eh! pá, isso é que era mesmo porreiro. Achas que o Unas pode vir?". Isso tens de falar com ele e pôr-te em campo.

Por isso, alentejanos amigos, já sabem: de 28 a 30 de Setembro estou em Beja, no Festival da Falta de Pudor. E vou ter banquinha montada com os meus ordinários livros. Não há fome que não dê em fartura: estive lá a 5 de Maio,
para o Salão de BD e para a Ovibeja (olá, Paulinha! — não é nenhuma ovelha que eu tenha comido, estejam descansados!), volto em Setembro para a Festa do Procriador.

Era giro que o Cocas telefonasse ao Animal, ao Cozinheiro Sueco e ao Grande Gonzo. E se o Waldorf e o Statler pudessem ir, era corte e costura garantido. Ainda por cima com aqueles queijinhos alentejanos, com aquele tintol. A 1 de Outubro devo estar bonito...





Auto-publicidade Poético-erótica

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial