Ganda Ordinarice

Desabafo bem intencionado e imagético sobre o Salão Erótico de Lisboa.

quinta-feira, julho 12, 2007

PUTAS DAS GAIVOTAS!


Já me estou a passar dos cornos e daqui a bocado vai tudo aviado à caçadeira, à pedrada, à fisgada ou à bastonada de beisebol!

Um homem vai ao Porto ao lançamento da revista número 9 das "Águas Furtadas" e a um encontro do Clube Literário do Porto (em Julho de 2006) e leva com as gaivotas a aterrar e a levantar voo nos telhados adjacentes ao Grande Hotel do Porto. Parecia Heathrow! Havia sempre três gaivotas a aterrar e outras tantas a levantar. Num cagaçal do camandro, claro!

Toma lá kainever, de manhã um ganda pequeno almoço e aulas de hidro no Holmes do Bessa. Um gajo chegava lá, via o sorriso da Katja e ficava logo melhor.

Um homem volta ao Porto em Março de 2007, fica no Hotel Douro (ao pé do cemitério de Agramonte e da Praça da Boavista, para ficar perto do Holmes) e leva com as putas das gaivotas que andavam lá perto do cemitério. Cri! Cri! Cri! Cri, o caralho, suas putas de merda! Toma lá mais kainever para dormir.

Um homem vem a Lagos a 4 de Maio de 2007 (para uma leitura, seguida de sessão de autógrafos na Biblioteca Municipal de Lagos, completamente a abarrotar de leitores que ainda desconheciam o Dick Hard e ficaram muito favoravelmente impressionados), dorme na "Sol e sol" e leva com as putas das gaivotas a guinchar. Às vezes até parece que estão a ladrar.

Um homem vem a Lagos para descansar do voleibol de Portimão, para recuperar baterias e instala-se na alta de Lagos, no Hotel Montemar. E as putas das gaivotas no estrilho nocturno.

Aquilo são gaivotas inglesas, por certo. Reparem: tanto no Porto como em Lagos há ingleses em barda. As putas das gaivotas metem-se nas "pints" e nos "shots" e depois andam por aí a voar aos ésses, a guinhar "England! England! England!" e não deixam dormir ninguém. Gandas vacas!

Depois, um homem vai passear até à Meia-Praia, bate os areais todos, vê meia-dúzia de gaivotas paradas no areal e nem um cabrão de um guincho para amostra.

Foda-se que é demais!

As gajas bem me olhavam de lado... deviam saber a merda que fazem de noite, depois de sair da praia. Assim como assim, resolvi enrabar uma, só para não ser chito. Pois é, pois é, pagam as justas pelas pecadadoras. Não sei se aquela era das putas bêbedas barulhentas. Mas não resisti.

Resta desejar um grande abraço ao meu amigo escritor e jornalista Afonso Melo, que nas crónicas sobre as refeições a bordo dos aviões costumava referir que serviam gaivota.

Agora a sério: mesmo com o incómodo todo, não consigo ter rancores ao raio dos bichos que me andam a foder as noites. Eu a enrabar a gaivota é ficção. É montagem. As gaivotas a foderem-me todas as noites é perfeitamente real.


Auto-publicidade Poético-erótica

7 Comentários:

  • Às 11:19 da tarde , Blogger Rui Manuel Amaral disse...

    Ao princípio pensei que a imagem não passava de uma fotomontagem. Mas vendo bem, és mesmo tu a enrabar a pobre gaivota...

     
  • Às 3:02 da manhã , Anonymous Luís Graça disse...

    Isto é apenas mérito dos amigos que tenho, que são magníficos designers. Até devia figurar no portfolio deles.

    E olha que não tenho ódio aos bichanos, apesar de hoje ter tomado mais uma vez um kainever para dormir.

    Nas Ilhas Cies, as gaivotas argênteas vinham-me comer à mão. Eu apanhava o último barco para Vigo, para apreciar um pôr-do-sol em que o astro-rei parecia um autêntico queijo Terra Nostra. Completamente rosa. E demorava 15 minutos a desaparecer debaixo de água. Uma coisa maravilhosa.

    No pontão, meia-hora antes de chegar o barco, dividia os bocadillos de atum com as gaivotas. Mas era preciso cuidado. Tinhas de ter sempre atum e bocadillo na mão. As gajas eram tão vorazes que eram capazes de te dar uma bicada na mão, só pela voracidade, se caísse o bocado de pão para o chão.

    Eu apreciava sobremaneira uma delas, que já conhecia. Tomava o pontão de assalto e afastava à bicada qualquer outra que tentasse vir comer-me à mão. Para dar de comer às outras tinha de atirar o atum para o chão.

    Mas essa tal gaivota tinha uma particularidade. Era tipo Henri Toivonen, a derrapar em cima do pontão. Eu atirava o bocadinho de atum para uns três metros e ela vinha a voar, aterrava e vias mesmo a gaja a derrapar para aí um metro, até bicar o bocadillo. E isto era todos os dias. Espectacular. Nem percebo como não foi contratada para piloto oficial de ralis.

     
  • Às 10:53 da manhã , Anonymous Álvaro disse...

    Como é? Apertadinho?

     
  • Às 2:47 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

    Ah, vens ao Porto em Julho 2007 e não dizes nada...!!!!!

    Gostei de ler.

    Mas também não podias ficar cá em casa porque os meus hóspedes ficam... na pocilga!!!!!!!!

    Acho que se soubesses isso, hesitavas logo a imaginar mais kainever para roncares com so suínos ;) eheheheheh

    Eu explico - os meus bácoros são inofensivos e de peluche e papier maché - colecciono porcos!

    Mas da próxima vez que vieres ao Porto, avisa e escolhe entre gaivotas e porcos; até porque vivo a 10m do mar - também podes matar saudades das bichinas :)

    Beijo
    M.Lurdes (Dominium)

     
  • Às 2:53 da manhã , Anonymous Luís Graça disse...

    Caro Álvaro:

    Não é assim muito apertadinho. Acho que a melhor experiência é com alba-atrozes.

    (Já agora recomendo os livros de Konsalik, "Morrer à sombra das palmeiras" e "Amar à sombra das palmeiras", em que um albatroz tem um papel decisivo no salvamento do náufrago).

    Cara Lurdes:

    A data está enganada. Foi Julho de 2006 (no Mundial) e Março de 2007.
    E olha que nem em Julho de 2006 consegui estar com o meu amigo médico que viveu sete anos nos States e agora está no Porto. O máximo que consegui foi falar com ele via telemóvel.

    E nunca consigo ver os amigos todos do Porto. Vou fazendo escalas. Em Julho de 2006 acabei a "marcar consultas" no átrio do Grande Hotel do Porto, num dos últimos dias.

    Ontem à tarde estava tão cansado e cheio de comida que adormeci hora e meia na praia e no hotel até dormi sem 'bombas', mesmo com as gaivotas em "full speed ahead".

    Hoje está muito ventoso e amanhã regresso à capital.

     
  • Às 6:07 da manhã , Blogger Geraldes Lino disse...

    Sodomizar galinhas já faz parte do imaginário pornográfico dos machos tímidos, agora de práticas de coito anal com gaivotas nunca tinha tido conhecimento, AG (antes de Graça). Parabéns, Luís, sempre na vanguarda, seja lá do que for:-)

     
  • Às 7:58 da manhã , Anonymous Luís Graça disse...

    Obrigado, Lino.
    Mas as gaivotas vão ser brevemente substituídas por uma instituição chamada Segurança Social, que me acusou de dever 24 meses de contribuições e me ameaçou com um processo.

    Já tenho os documentos em dia, mas do stresse e dos dois kainever já ninguém me livra.

    No "Informativo" ao pé do Técnico foram espectaculares. Na Caixa de Jornalistas, também. A chefe de serviços, a D.Rosa, resolveu-me a situação.

    Mas eu vou ser sintético na queixa do Livro Amarelo e vou desenvolver aqui no blogue, com muitas imagens.

    Resumindo: sai a gaivota da minha frente, entra a instituição Segurança Social, representada pelos seus mais incompetentes dirigentes.

    Avant-première do título do post: "GANGUE DA SS ATACA DICK HARD PELAS COSTAS! GANDAS ORDINÁRIOS!".

    Estou mortinho por levar com um processo judicial, para lhes meter à perna o meu ex-professor Garcia Pereira e as custas correrem por conta deles. É óptima publicidade para os meus livros.

    Só espero que sejam suficientemente estúpidos para morder o isco.Nunca devemos menosprezar a estupidez de certos dirigentes portugueses de topo.

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial