Ganda Ordinarice

Desabafo bem intencionado e imagético sobre o Salão Erótico de Lisboa.

domingo, setembro 23, 2007

PORRA, LÁ SE FORAM OS JOGOS OLÍMPICOS!



Dick Hard foi para o Jamor ver o Portugal-Itália de hóquei em campo, num sintético que está um miminho. Se os responsáveis são os da Opsa, os meus parabéns (www.opsa.pt).
Dick Hard foi para o EuroHockey 2007, que decorreu entre 9 e 16 de Setembro no relvado sintético do Complexo Desportivo do Jamor.


Dick Hard viu a selecção portuguesa levar 3-0 da Itália num jogo equilibrado. E lá se foi o sonho de aceder ao torneio de qualificação para os Jogos Olímpicos. Como se isso não bastasse, a selecção portuguesa (“os Linces”) ficou em sétimo lugar (o penúltimo) e desceu de escalão. Mas ainda marcou três golos aos justos vencedores do campeonato, os polacos (3-8).

Se o Portugal-Itália foi fraquito (depois de ver o Europeu no Eurosport uma pessoa fica habituada a caviar e estranha a sandes de torresmo), o Polónia-Áustria da final foi bem bom.
E o jogo acabou com o triunfo da Polónia no último segundo, já com o cronómetro a zeros, na sequência de um canto curto.

Vitória justíssima, de uma formação que exibiu excelente hóquei e podia ter resolvido a partida na primeira parte, apesar dos gritos do seu guarda-redes, que não se calava nem à lei da bala. Estavam os polacos a ganhar por 2-1 e ele relatou o contra-ataque austríaco “em directo e ao vivo”. Segundos depois estava em silêncio, com a igualdade restabelecida, com um golo por entre as pernas.
Do outro lado, o guarda-redes austríaco apresentava o curioso tique de dar stickadas nas suas perneiras com tanta força que o eco chegava às piscinas onde decorreu o Mundial de Piscina Curta.

Aqui o Dick Hard assistiu ao Portugal-Itália bem acompanhado: Rogério Teixeira (ex-diácono, ex-colaborador do Record na modalidade de que falamos, ex-jogador), Barão (ex-internacional), o inconfundível e omnipresente Zé, o benfiquista mais conhecido do Glorioso, ex-sócio do ano (já entrevistado para o Correio da Manhã pelo Dick Hard, através do seu heterónimo jornalista, Luís Graça) e Gema (ex-internacional).

— Ele é “lagarto” mas é boa pessoa — disse o Zé.
E o resto da “troupe” adoptou-me.


Na final de domingo, o Rogério Teixeira veio ter comigo e disse-me que tínhamos aparecido no jornal.

Mas qual jornal? Um gratuito que eu desconhecia totalmente e de que reproduzo o texto que saiu sobre o campeonato, bem como a foto de Jorge Caseiro.

O “Ripa Desporto”, o 1º semanário desportivo gratuito.

À frente da Redacção o conhecido José Carlos Soares, que deu agora à estampa um livro a relatar os seus tempos de desemprego, de três noites seguidas sem dormir, da vergonha de aparecer na casa dos pais, das crises de confiança.

Na bancada, da esquerda para a direita, Rogério Teixeira (de chapéu), Barão, Dick Hard, Zé e Gema, durante o Portugal-Itália (0-3).

Tarde bem passada: entrega dos troféus ao som de “We are the champions” e “Staying Alive”. Os polacos aos saltinhos a cantar: “Campeones! Campeones! Campeones!”. E os austríacos, que ganharam o troféu do Fair-Play a felicitá-los no final, contentes com o segundo lugar e conformados com o golo sofrido no último segundo.

A Escócia completou o pódio (4-3 à Suíça) e seguiram-se-lhes as seelcções de Gales, Itália, Portugal e Ucrânia.

Na “poule” de Kazan, na Rússia, a classificação ficou assim ordenada: Rússia, Bielorrússia, Croácia, Azerbeijão, Dinamarca e Suécia (Nations Challenge Men I).
Na “poule” de Predanovici, Eslovénia, a história foi esta: Eslovénia, Turquia, Sérvia, Lituânia, Eslováquia, Bulgária, Finlândia (Nations Challenge Men II)

Curioso salientar a debilidade finlandesa, uma das grandes potências mundiais de hóquei sobre o gelo. Bem, Portugal também é muito bom no hóquei em patins.

(Parece que já estou a ouvir os protestos, face à classificação no último mundial).

Resta dizer que gostei muito de conhecer os meus camaradas de O JOGO, a Marta e o Rémulo Jónatas. E consegui conter-me. Apetecia-me fazer uns elogios à Marta que poderiam ser considerados brejeiros.

(LUÍS GRAÇA — Pá, tem juízo, tens idade para ser pai dela...
DICK HARD — Tens alguma coisa contra a pedofilia?
LUÍS GRAÇA — Vai mas é falar com o Carlos Cruz...
DICK HARD — Por acaso vi o gajo no lançamento do “Pão com Manteiga” (Oficina do Livro).
LUÍS GRAÇA — Isso é que era um programa de rádio.
DICK HARD — Pois era. A Oficina do Livro merece as mais vivas felicitações por ter editado a obra.
LUÍS GRAÇA — Só estás a dizer isso porque deste uma ganda seca ao António Lobato Faria, a Cristina Ovídio e o Marcelo Teixeira.
DICK HARD — Estás parvo! Os gajos até gostam de mim. Olha, o Marcelo até contou uma muito boa: as telefonistas da editora passam a vida a atender telefonemas deste estilo: “Está? É da Oficina do Livro? O que é preciso fazer para me arranjarem um livro?”

MAS ISTO TEM ALGUMA COISA A VER COM HÓQUEI EM CAMPO?

Claro que sim. O problema legal da pedofilia é os graúdos andarem à stickada aos putos enquanto eles são canininhos.
Antigamente, a pedofilia em Portugal disputava-se em campos pelados. Era só poeira. Hoje não. O sintético do Jamor estava um miminho. Vi montes de crianças agarradas às bolas. E os adultos todos satisfeitos, prazenteiros mesmo.
— Vá, larga-me o stick, vai agarrar nas bolas.

O que para ali ia de nomes estrangeiros no grupo dos apanha-bolas.

ATÃO E AS GAJAS DO SALÃO DE PORTIMÃO?
Muita calma! Muita calma! Muita calma! Não estrilha, senão não se publica mais foto nenhuma das meninas...
Agora o Dick Hard vai em digressão poético-literária. Boticas, Espanha, Beja. Com Comunidade de Leitores pelo meio. Porra, até parece mesmo um escritor...



Auto-publicidade Poético-erótica

3 Comentários:

  • Às 11:35 da manhã , Blogger JuliaML disse...

    espero que venha ao Porto no dia 5 ver a exposição da Debora :-)

     
  • Às 11:50 da tarde , Anonymous Luís Graça disse...

    Teria imenso prazer no nosso reencontro, mas é praticamente impossível.Após dez anos de ausência, foram quatro idas ao Porto num ano.
    O dinheiro está a chegar ao fim, o jornalismo é uma coisa que não me deixam fazer (pelo menos remunerado) e agora vou apostar tudo no espectáculo de teatro que terei no Teatro Bocage, em Novembro. Deve ser ser dia de ensaio ou reunião.

    E há que tratar de mais um livro que vai sair brevemente: "Dick Hard, detective privado, Agruras e Azares, Lda". Os contos estão todos publicados aqui no Ganda Ordinarice.

    E estava a ver que nem sequer conseguia postar este comentário.Problemas a abrir a caixa de comentários.

    Daqui a bocado, às 20 horas, vou apanhar boleia do Rui Unas e vamos abrir o "Festival do Amor", em Beja (www.festivaldoamor.com).

    Um grande beijinho Luís-Juliano.

     
  • Às 3:04 da manhã , Anonymous Luís Graça disse...

    De repente, passados meses, vim dar aqui a este post e ocorrem-me várias reflexões, face às reacções à participação portuguesa nos Jogos de Pequim.

    1) Ninguém deu pela perda do lugar do hóquei em campo nos Jogos Olímpicos. Foi mais assim tipo...já não vamos aos Jogos Olímpicos, não faz mal.

    2) Apenas o jornal O JOGO deu um destaque maior ao acontecimento.

    3) Se os hoquistas se qualificassem e obtivessem os resultados normais, sofrendo algumas goleadas pelo caminho, também seriam insultados?

    4) E também no caso do hóquei em campo surgiria a opinião de que "para fazer isto mais valia não vir"?. Nesse caso, essas pessoas ficarão por certo felizes com este post. É a história de uma não-presença nos Jogos Olímpicos.

    5) Para essas pessoas, deixo a seguinte reflexão e desafio: que tal exigirem que Portugal nunca mais tente a qualificação na modalidade de futebol? Já ganhámos alguma coisa no futebol dos Jogos Olímpicos?

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial